Navegação – Mapa do site

Capa - Espaço e Economia - Número 8

Descrição

Registro da manifestação contrária à retirada dos sem-teto ocupantes da Favela Metrô-Mangueira, situada nas proximidades do Maracanã, diretamente impactada pelas obras relacionadas à Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016. Os sem-teto fecharam a principal via do local em resistência ao emprego de violência da força policial na operação de desocupação. A Favela Metrô-Mangueira, que possuía aproximadamente 650 famílias e mais de trinta anos de existência, foi palco de remoções de seus moradores sob a justificativa da necessidade de construção de um estacionamento para o Maracanã. Foi após estas remoções que parte das casas vazias, embora depredadas, acabou ocupada por populações sem-teto e usuários de drogas, em meio aos entulhos das demolições e ao lixo depositado no local. O conflito aberto contra as comunidades carentes e o atropelamento dos interesses coletivos, bem como o uso de força militar com beligerância desproporcional e o emprego da lei como base das ações dominantes são signos preocupantes do tempo presente.

Para maiores informações sobre os enfrentamentos entre as comunidades do entorno do Maracanã e a construção dos megaeventos esportivos, consultar: CASTRO, Demian Garcia. “O Maraca é Nosso!”: Neoliberalização da cidade, elitização do futebol e lutas sociais em torno do Maracanã. Tese (Doutorado em Geografia), Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2016.

Os editores agradecem à fotógrafa-ativista Paula Kossatz pela gentileza de permitir o uso desta imagem na capa de Espaço e Economia: Revista Brasileira de Geografia Econômica.

Autor
Leandro Dias de Oliveira
Créditos
Paula Kossatz, em 07 de janeiro de 2014
Ficheiro original
  • Logo Núcleo de Pesquisa Espaço e Economia
  • Logo Latindex
  • Les cahiers de Revues.org